Disciplina de Endocrinologia e Metabologia

Hospital das Clínicas

Faculdade de Medicina da USP

Tratamento de Emergência da Insuficiência Suprarrenal

A insuficiência suprarrenal aguda ocorre quando há uma redução abrupta da produção de glicocorticoide pelas glândulas suprarrenais. Pode ocorrer nas condições abaixo:

  • Insuficiência suprarrenal primaria
  • Insuficiência suprarrenal secundaria
  • A suspensão abrupta de glicocorticoide em pacientes que fazem uso crônico de glicocorticoide devido a patologias específicas
  • Pós-operatório de pacientes com doença de Cushing e síndrome de Cushing que necessitam de glicocorticóide até plena recuperação do eixo hipotálamo-hipofise-suprarrenal.
  • Pacientes em uso de drogas com efeito adrenolitico e de diminuição da esteroidogênese suprarrenal (ex mitotane)
  • Pacientes com insuficiência suprarrenal primaria ou secundaria em tratamento podem desenvolver insuficiência suprarrenal aguda frente à situação de estresse (infecção, trauma, cirurgias).

A apresentação clínica da insuficiência suprarrenal aguda pode ser um quadro de hipotensão, náuseas, vômitos, torpor, desidratação, diarréia e dor abdominal, e se não tratada de forma adequada pode levar ao óbito

Conduta
-Nos casos sem diagnóstico, colher sódio, potássio, glicemia, uréia, creatinina, cortisol sérico, (ACTH plasmático quando possível) e iniciar tratamento antes do resultado dos exames.
-Estabelecer acesso venoso e iniciar expansão com soro fisiológico 2-3 L por via endovenosa, com controle hemodinâmico frequente
-Reposição de glicocorticoide por via endovenosa nas doses:
Adultos
Dose de ataque: Hidrocortisona 100 mg EV
Dose de manutenção: Hidrocortisona 50 EV 8/8 hs
Crianças
Dose de ataque: Hidrocortisona 50 mg EV
Manutenção: Hidrocortisona 25 mg EV 8/8h

Após controle do fator desencadeante da crise de insuficiência da suprarrenal, reduzir gradualmente a dose de glicocorticoide durante 3 dias; a seguir manter a dose dobrada de glicocorticoide via oral até plena recuperação do fator desencadeador da crise, quando o paciente deve retornar a dose habitual de glicocorticóide.

Se houver suspeita de insuficiência suprarrenal primária, deve-se associar fludrocortisona via oral 50 – 200 mg ao dia (as doses mais elevadas são indicadas em crianças até os 2 anos).

Os pacientes em uso de medicamentos que aumentam o metabolismo dos glicocorticoides (ex: anticonvulsivantes, cetoconazol, mitotane) devem ser tratados com doses maiores de glicocorticóide.

Os pacientes com insuficiência suprarrenal devem sempre carregar consigo um cartão/carta de orientação sobre a sua doença.

É necessário que em todo atendimento ambulatorial o paciente e seus acompanhantes sejam alertados para a importância desta pratica.

Disciplina de Endocrinologia e Metabologia
Hospital das Clínicas da FMUSP - Prédio do Instituto Central
Av. Dr. Enéas Carvalho de Aguiar, 255 - 7º andar - Sala 7037 - CEP 05403-900 - São Paulo/SP
Telefone/Fax: (11) 2661-7564, (11) 2661-6042 - Fale conosco